O ESG e o Cooperativismo de crédito
Voltar ao início

O ESG e o Cooperativismo de crédito

Escrito por: Prof. Dr. Marcelo Langer, Especialista em Desenvolvimento Sustentável

Fomentar o cooperativismo de crédito é uma forma de potencializar os valores sociais e ambientais de regiões. É promover a inclusão por meio da geração de condições para o desenvolvimento humano orientado tecnicamente com base em padrões de coerência ambiental e justiça social.

As cooperativas de crédito do Sicredi promovem o “E” ou o “A” de Ambiental (em português), por meio da gestão responsável de suas agências, que desde 2015 são Carbono Neutro com projetos de neutralização e outras iniciativas como, gestão e destinação adequada dos seus resíduos sólidos, incluindo a reciclagem e troca de materiais utilizados na operação do dia-a-dia. E não só nas agências, as atividades vão além, pois envolvem seu entorno ambiental, realizando atividades junto da comunidade e população local, com ações de plantio de mudas, limpeza de rios, coleta e reciclagem de resíduos, promoção de reuso econômico de materiais, programas de educação e sensibilização ambiental de crianças, jovens e adultos.

As cooperativas promovem o S de Social, principalmente por serem empresas regionais e conhecerem como nenhuma outra instituição os desejos e anseios de cada comunidade, apoiando suas ideias, iniciativas e ações, além de gerar empregos e soluções econômicas cabíveis a todas as realidades e necessidades. Um exemplo disso: são mais de 200 municípios, pequenas comunidades em todo o Brasil onde o Sicredi é a única instituição financeira, comunidades que foram deixadas à margem do sistema financeiro, pelas instituições financeiras. O Sicredi também tem projetos e programas muito bem estruturados e já consolidados como, o Programa A União Faz a Vida que há 25 anos promove os valores da cooperação, cidadania e solidariedade em milhares de escolas conveniadas. Por meio de voluntários, as cooperativas do Sicredi levam os princípios básicos de educação financeira para as comunidades, tendo como ferramenta de apoio os gibis da Turma da Mônica. Mais de 7 milhões de gibis já foram distribuídos gratuitamente, impactando a vida de milhares de crianças, adolescentes, jovens e seus familiares. E, o voluntariado não acaba aqui, as iniciativas do Dia C, o dia de cooperar, conseguiram sensibilizar colaboradores e associados em campanhas de arrecadação. Toneladas de alimentos, produtos de limpeza, e EPIs foram arrecadados e distribuídos para instituições filantrópicas. O Sicredi promove o desenvolvimento econômico não só de seus cooperados, mas também de seus colaboradores. Isso é comprovado pelo índice de felicidade do trabalho e do total de horas de treinamento por colaborador. Desse modo, o Sicredi alinha todas as suas ações aos princípios de respeito social e desenvolvimento sustentável.

O G de Governança é a sua maior fortaleza, pois suas premissas de governança são a participação ampla de seus associados, a transparência da gestão de dados, números e informações, e a liberdade orientada à maximização da satisfação do cooperado, do colaborador, da sociedade e de todos os atores sociais. Isso acontece por meio de uma gestão democrática: cada agência elege seus representantes junto à cooperativa; desta forma, nas assembleias, cada comunidade local é representada, todos os associados têm voz e vez. Assim, é possível o desenvolvimento da liberdade do diálogo, das expressões individuais e coletivas. Mulheres e Jovens também ganham espaço nas cooperativas do Sicredi com a implantação de comitês, que promovem capacitação e formação para o desenvolvimento de novas lideranças, ampliando seus conhecimentos, suas percepções sociais e humanas; identificando oportunidades para melhorar o bem-estar e a qualidade de vida individual de cada cidadão e de sua coletividade. 

Assim, a sustentabilidade do cooperativismo do Sicredi está intrinsecamente ligada à sustentabilidade de seus cooperados, pois promove a viabilidade econômica de suas atividades; respeita e potencializa os seus valores, capacidades e necessidades sociais, desenvolve e realiza atividades de conservação, preservação e recuperação dos valores naturais e, assim, faz do cooperativismo eficiente e verdadeiro, uma das formas mais verdadeiras de praticar ESG.